Alexandre Frota

Frota lidera ranking de deputados com mais projetos: média de 3 por semana

Os 20 parlamentares mais produtivos nesse quesito apresentaram 28% de todas as propostas protocoladas na Câmara nesta legislatura.
Os 20 parlamentares mais produtivos nesse quesito apresentaram 28% de todas as propostas protocoladas na Câmara nesta legislatura.

Ao lado da fiscalização do Poder Executivo, a proposição de leis é a principal tarefa dos eleitos para o Poder Legislativo. É um trabalho ao qual alguns deputados se dedicam mais do que outros. Eles são 513 na Câmara, mas os 20 mais produtivos nesse quesito apresentaram 28% de todos os projetos de lei e propostas de emendas à Constituição protocolados nesta legislatura, mostra levantamento do (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles.

E entre os que mais protocolaram sugestões para criar, mudar ou suprimir leis, foi um parlamentar em primeiro mandato, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), que ficou no topo do ranking.

Ele fez, como autor ou coautor, 239 proposições desde fevereiro de 2019, quando tomou posse. Como os parlamentares dessa legislatura trabalharam até agora 78 semanas, tirando os recessos, Frota apresenta, em média, três proposições por semana.

 

A produção chama mais atenção quando se nota que, em seu primeiro ano, quando protagonizou uma crise com o grupo político pelo qual se elegeu, o parlamentar praticamente não apresentou PLs ou PECs. A produção se acelerou mesmo este ano. “O primeiro ano foi de adaptação, a gente vai se acostumando com o ritmo da Câmara, vai conhecendo as equipes”, avalia ele em entrevista ao Metrópoles.

“Mas agora conheço mais, entendo o trabalho dos técnicos da Câmara, que são ótimos, e consigo produzir mais. Trago isso comigo da minha carreira, sempre gostei muito de criar e escrever programas”, completa ele, que não se prende a um eixo na hora de propor leis, tramitando da área fiscal aos direitos humanos e luta pela igualdade de gênero.

“A gente vai costurando, eu escuto as sugestões do partido, também converso muito com o presidente da Casa, o Rodrigo Maia, para ir identificando as necessidades e trabalhando. E meus projetos andam, o que é gratificante. Já tem vários que passaram pela CCJ [Comissão de Constituição e Justiça] e estão na fila para serem votados”, comemora o parlamentar, que trocou o PSL, na época ainda o partido do presidente Jair Bolsonaro (hoje sem partido), pelo PSDB e passou a adotar uma posição bastante crítica ao governo federal.